[ editar artigo]

Freddie Mercury, a marca!

Freddie Mercury, a marca!

Bohemian Rhapsody conta a trajetória de uma das maiores bandas de rock de todos os tempos, a Queen, mas sem dúvida, o enredo do filme é levado pela força da marca pessoal de Farrokh Bulsara - nome de batismo de Freddie Mercury.

Freddie sempre soube qual o seu propósito e ainda quando era carregador de malas, num aeroporto em Londres, começou a buscar o caminho que o levaria à sua realização. Iniciativa nunca lhe faltou.

Em uma passagem marcante do filme, ao saber que o filho mudaria seu nome original para a fama, seu pai lhe disse: “Não se chega a lugar nenhum fingindo ser quem não é”.

Ele estava certo! Ninguém sustenta por muito tempo um personagem de si mesmo.  O que ele talvez não soubesse é que para ser quem verdadeiramente somos, muitas vezes precisamos abandonar as vestes que nos são impostas.  O desenvolvimento humano é complexo e muitas vezes (senão a maioria) padrões e regras sociais vão nos moldando, nos adaptando ao ambiente e então perdemos aquilo que nos faz únicos: a nossa essência, a autenticidade.

Nenhuma marca pessoal é forte se não for autêntica.

Freddie Mercury tinha coragem para ser autêntico, mais que coragem, tinha ousadia. Ele sabia que precisava dela para ser quem verdadeiramente era e não quem tinha tentado ser até ali. E foi levando a ousadia como atributo de sua marca pessoal que, mesmo tão polêmico, conseguiu ser considerado pela crítica um dos maiores artistas de todos os tempos.

Outro atributo de Freddie, fundamental para sua notoriedade e que levou a Queen, fundada por ele em 1970, ao topo das paradas foi a criatividade. Quem me conhece sabe o quanto eu gosto do assunto!

Levou ao pé da risca o fato de que para inovar não precisava inventar, mas quebrar padrões. A Queen sempre investiu nesta área. Buscavam processos criativos quase que artesanais: um novo som, um novo timbre, um novo acorde. Misturavam, repetiam incansavelmente à busca da excelência e provocavam –se entre eles como que sabendo que a provocação tiraria de cada um o seu melhor.

Quando lançado, A Night at the Opera foi totalmente disruptivo. E era só 1975. Quem até então tinha pensado em misturar na mesma trilha musical, tessituras de Opera e acordes de guitarra, tudo isso no mais perfeito hard core? Arriscaram....inovaram e com isso venderam mais de 1 milhão de cópias. A Queen se tornou mundialmente conhecida!

Com toda inovação e extravagância tão características em Mercury ele manteve, nesse sentido, a consistência de sua marca pessoal e, mesmo sendo alvo de escândalos envolvendo sua bissexualidade e posteriormente a aids, doença que assumiu publicamente em meio a muitos tabus, Freddie continuou sendo idolatrado e reconhecido pelo fãs por talento único, o conjunto da obra.  Isso nos mostra que a reputação de uma marca pessoal se constrói ao longo do tempo com tudo que citei até aqui e que a credibilidade alcançada por ela é o crédito que faz a diferença quando qualquer circunstância da vida abala sua imagem. Não fosse isso, Freddie Mercury talvez não fosse lembrado como é, 27 anos após sua morte.

Sendo assim, eu aqui ao som de “I want to break free” deixo pra vocês seis atributos da marca pessoal de Freddie Mercury que farão toda diferença na relevância da sua marca pessoal:

Iniciativa

Autenticidade

Coragem

Criatividade

Ousadia

Consistência

Tenha sempre!

                                                                                              “ A sorte favorece os ousados”

                                                                                                              Freddie Mercury

Clube Ponto Pessoal
Daniela Hespanha
Daniela Hespanha Seguir

Especialista em Personal Branding | Marketing & Educação Embaixadora e Colunista da Ponto Pessoal | Consultora em Marketing Pessoal e Posicionamento Digital Formação em Personal Branding , Coaching , Tecnologia Educacional e Andragogia

Ler matéria completa
Indicados para você