[ editar artigo]

Marca Pessoal desgovernada leva à insatisfação pessoal e profissional.

Marca Pessoal desgovernada leva à insatisfação pessoal e profissional.

 

Por que não ensinam isso nas faculdades? Tanto aprendizado técnico muitas vezes se torna inútil se o profissional não consegue se “vender”.

 

O termo vender pode causar desconforto, mas já é hora de aceitarmos que todos nós temos uma marca ( a marca você) e através dela conquistamos ou não nossos objetivos. Não estou falando apenas de objetivos profissionais, estamos vendendo nossa marca quando flertamos com alguém, queremos entrar em algum grupo, buscamos uma amizade verdadeira, um novo emprego, uma promoção, clientes para o nosso negócio e por aí a fora.

                                                           

A marca pessoal vem da reputação que adquirimos ao nos relacionar com outras pessoas, já pensou o que elas dizem de você?

 

Todos os anos milhares de profissionais são jogados no mercado sem ter a mínima ideia do que fazer com sua carreira.

 

¨Para quem não sabe para onde ir, qualquer caminho serve ¨.

 

Profissionais se tornam reféns de seu trabalho e a busca pela estabilidade alimenta a cegueira e a incapacidade de reação, pois simplesmente, eles não sabem o que querem, não reconhecem seus diferenciais e suas qualidades, não se organizam a seu favor.  Delegam  a outros o destino de suas carreiras, não assumem o controle de suas vidas. Desta forma, se tornam profissionais infelizes e rapidamente esquecem-se do propósito que os levou a percorrer todo o caminho até o dia de suas formaturas.  Alguns optam ainda por um caminho ¨mais fácil¨ uma oportunidade de emprego em outro mercado mas que por algum tempo lhes dará a sensação de segurança tão esperada e cobrada pela sociedade.

 

Eu mesma vivi esta experiência, cruzei com muitos outros profissionais percorrendo o mesmo caminho e vejo  a mesma se repetir acompanhando a trajetória de vários jovens com os quais tenho a oportunidade de conviver.

 

Outro agravante nos dias atuais é que a grande maioria dos jovens não desenvolveu a capacidade de resiliência, esperam que tudo aconteça de uma hora para a outra e como não é assim que acontece logo se distanciam de seus objetivos.  Muitos ficam deprimidos (segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% dos brasileiros sofrem com distúrbios depressivos e de ansiedade – a depressão leva à morte e é a segunda principal causa de morte de jovens entre 15 e 29 anos no mundo) e precisam traçar um longo caminho para que possam se reencontrar.

 

E o que faz a diferença?

 

É necessário gerenciar sua marca pessoal tornando-a desejável e acima de tudo comunicar corretamente seus atributos. O autoconhecimento é fundamental, é preciso debruçar-se sobre o que parece tão simples mas que é um desafio para a maioria das pessoas. É indispensável entender o que lhe torna um profissional único no mercado e os diferenciais que tem a oferecer.  Este gerenciamento fará toda a diferença entre os que terão sucesso na vida profissional e pessoal e os que passarão por ela buscando se encontrar.

 

 

Clube Ponto Pessoal
JACQUELINE CARCERERI
JACQUELINE CARCERERI Seguir

Palestrante, Especialista em Marketing (FAE-PR) e em Gestão de Negócios (ISAE-FGV PR) Mentora no Curso de Especialização em Marketing Pessoal e Colunista na Ponto Pessoal.

Ler matéria completa
Indicados para você