[ editar artigo]

Saúde Mental, qual sua importância?

Saúde Mental, qual sua importância?

Setembro é um mês especial, nomeado “Setembro Amarelo” – mês de prevenção ao suicídio, onde uma profunda reflexão sobre a saúde mental é promovida. 

 

Qual a importância da saúde mental para a nossa marca pessoal?

Atualmente, um dos pré-requisitos necessários para alcançar o reconhecimento na sociedade, atingir os objetivos planejados na carreira, garantir relacionamentos duradouros e assegurar uma boa marca pessoal é ser detentor de inteligência emocional, que só é possível quando a saúde mental desse indivíduo está ajustada e adequada. Pessoas que possuem equilíbrio emocional tem mais facilidade para desenvolver relações saudáveis, possuem habilidade de gerenciar os conflitos que surgem, são resilientes, possuem consciência situacional e demonstram empatia ao seu semelhante. A soma de tudo isto transmite uma imagem positiva, um marketing pessoal assertivo, passando confiança para aqueles que estão em volta. Enquanto que, uma pessoa desestabilizada emocionalmente é facilmente identificada pelo seu comportamento inconstante, humor instável, irritabilidade e dificuldade nos relacionamentos interpessoais.

 

Todos nós temos uma lista de prioridades. Nesta lista colocamos os itens mais importantes a serem realizados para não serem esquecidos em hipótese alguma. Há itens que quando esquecidos geram grande transtorno, por exemplo: se as mulheres deixam de visitar o ginecologista periodicamente, estão pré-dispostas a desenvolverem algumas doenças. Se as pessoas não visitarem o dentista ao menos uma vez ao ano, estão propensos a arcarem com grandes reparos no futuro.

 

A pergunta é: Em qual posição da lista de prioridades está a sua saúde mental?

 

Setembro é um mês especial, nomeado “Setembro Amarelo” – mês de prevenção ao suicídio, onde uma profunda reflexão sobre a saúde mental é promovida. 

A necessidade de conscientização e as campanhas reforçadas sobre o tema evidenciam que a saúde mental ainda não faz parte da nossa lista de prioridades e por esta razão o tema precisa ser reforçado. Fomos ensinados a cuidar da aparência, visitar com regularidade especialistas de diversas áreas da saúde, fazer exames preventivos, mas deixamos por última estância o que não é visível aos olhos – a nossa mente.

Vivemos um tempo onde pessoas maquiam seus rostos tristes, vendem uma aparência saudável e feliz e registram nas redes sociais somente a melhor versão que possuem si mesmos. Com isso, uma grande pressão social é posta sobre as pessoas, e quando elas não atendem aos padrões, estão fadadas a desencadear uma série de problemas que afetam sua condição mental e emocional. Conflitos existenciais, complexos de inferioridade, frustrações, depressão e outros problemas são alguns dos problemas gerados, e se não tratados, podem levar ao suicídio.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a cada 40 segundos uma pessoa ao redor do mundo tira a própria vida. Não há um fator único que justifique um suicídio. Faz parte de um conjunto de fatores psicológicos, físicos, culturais e bioquímicos. Mas especialistas afirmam que na maior parte dos casos o suicídio é desencadeado por histórico de transtornos mentais, como a depressão, ansiedade, esquizofrenia, bipolaridade, entre outros.

 

É possível observar que ainda há uma grande dificuldade de identificar, compreender e encarar possíveis diagnósticos de depressão.

 

Seguem abaixo alguns sinais comportamentais que podem ajudar identificar quadros de depressão:

- Mudanças de comportamento e perda de interesse por coisas que tinha prazer;

- Crises de choro, cansaço constante, pensamentos negativos e tristeza permanente;

- Ansiedade, tensão;

- Comportamentos compulsivos e extremistas;

- Grande dependência emocional em coisas ou pessoas;

- Histórico familiar de depressão e suicídio.

 

E como podemos incluir a Saúde Mental na lista de prioridades? Veja algumas dicas:

- Ter hábitos e alimentação saudáveis;

- Fazer atividades que exercite o corpo e traga bem-estar;

- Não se sujeitar a relacionamentos tóxicos;

- Ter ao menos um bom amigo para compartilhar dores emocionais;

- Evitar o isolamento social;

- Procurar um terapeuta ao notar diferença de humor sem causa aparente;

- Desenvolver a espiritualidade, exercitar a fé;

- Ao notar um desejo de tirar a própria vida, recorrer a ajuda ligando para 188.

 

 

Tão importante quanto cuidar da nossa beleza aparente, é cuidar daquilo que não está diante dos nossos olhos, mas que se revela por meio das nossas ações. A manutenção da mente e das emoções são os grandes cuidados da beleza interior, e tornam-se grandes aliados da beleza exterior. Empenhar-se em aperfeiçoar o exterior não elimina as dores internas, mas, havendo bem-estar mental e emocional, todo o conjunto externo é automaticamente enaltecido.

 

“Um coração alegre aformoseia o rosto” (Bíblia - Provérbios 15:13)

Clube Ponto Pessoal
Lucila David
Lucila David Seguir

Sou graduada em Marketing com especialização em Comunicação e Marketing Pessoal pela Ponto Pessoal com o intuito de assessorar pessoas no aperfeiçoamento do propósito de vida, a fim de atuarem de modo excelente e relevante em suas vocações.

Ler matéria completa
Indicados para você